menu  
 




 
 
 
CONFERENCIAS - interna SUPER   Interno PQ - 5os
 
Comemoração
14/09/2017 - 13h57
Lamil celebra 70 anos de atuação no mercado brasileiro
Fundada em 1947, a empresa se consolidou, possui capacidade de 80.000 toneladas/ano de produto e atende diversos segmentos industriais

Uma história de sucesso, com gestores que contribuíram para o desenvolvimento do mercado e, ainda, regada a uma incrível memória familiar.  Com esses pilares a Lage Minérios Ltda., a Lamil, construiu a sua trajetória e celebra 70 anos de atuação na indústria química brasileira.

A empresa foi fundada em 1947, no município de Pará de Minas (MG), por João Ribeiro Lage, e iniciou suas atividades com o arrendamento de uma jazida de agalmatolito (silicato de alumínio hidratado). “Esse fato é extremamente relevante para nós porque até há pouco tempo considerávamos o ano de 1958 como sendo o ano da fundação da Lamil. Mas organizando nossos arquivos, nos deparamos com este período de 11 anos, que de fato é o início da empresa e que foi de esforço empreendedor individual do meu pai”, explica Sérgio Lage, sócio e presidente do conselho de administração da Lamil.

No ano de 1958, tornou-se oficialmente Lage Minérios Ltda – Lamil e passou a atuar com outros dois sócios, irmãos de João Lage. Em 1960, os negócios começaram se expandir, a empresa adquiriu a propriedade e o direito sobre a jazida, já que até então os sócios atuavam como arrendatários. Nesta fase, até o ano de 1969, toda a produção era enviada para o Rio de Janeiro e São Paulo, com o transporte feito em pranchas ferroviárias, conhecidos como vagões abertos, sendo comercializada em minério bruto. 

Com uma visão idealizadora, os sócios passaram a fazer investimentos em maquinários. Equipamentos de moagem foram adquiridos e instalados em galpões de produção e de estocagem. Depois, na década de 80, os investimentos foram concentrados na aquisição de novas jazidas e a produção atingiu o patamar de cerca de 5.000 toneladas por mês. 

“Apesar de todos os problemas advindos do governo Collor no início dos anos 1990, um ponto positivo foi a abertura do mercado ao comércio exterior. Fato que forçou a indústria brasileira a buscar parâmetros de competitividade que se adequassem ao padrão internacional”, avalia Sérgio Lage, sobre este período da empresa.

Nos últimos anos, com investimentos na ordem R$ 6 milhões, a Lamil se dedicou à consolidação de projetos iniciados em 2010 como o novo moinho de bolas, retrofit da britagem, otimização da classificação de minérios, implantação da frota própria de transporte nas minas e o aperfeiçoamento dos processos de extração mineral nas minas subterrânea e céu aberto. Além disso, adquiriu novos equipamentos para os laboratórios de controle de qualidade e de tecnologia.

“Desenvolver uma mina subterrânea de agalmatolito foi algo que nunca tinha sido feito até então. Obviamente que contamos com profissionais altamente qualificados que nos dão assessoria até hoje”, relata Sérgio Lage, que pontua ainda que em 2015 a empresa realizou uma pesquisa no interior da mina e mapeou uma reserva que permite a continuidade de fornecimento para o mercado por mais 50 anos com os níveis atuais de produção.

Com a construção dessa história, a Lamil atuou de forma positiva para o crescimento do setor mineral. “Ao longo de uma trajetória tão duradoura quanto a da Lamil, há inúmeros fatos relevantes tanto positivos quanto negativos. Os negativos são necessários para o aprendizado, o crescimento pessoal e coletivo da equipe e para o fortalecimento da empresa como um todo”, complementa Sérgio.

Atualmente com uma planta industrial ainda localizada no município de Pará de Minas (MG), a Lamil possui a concessão de 5 jazidas na região com capacidade de 80.000 toneladas/ano de produto acabado, distribuídos em várias granulometrias e especificações que atendem aos mais diversos segmentos da indústria química. No mercado de tintas, fornece o agalmatolito tipo lamelar, que é composto pelos minerais muscovita, pirofilita e ilita; e também o óxido de ferro micáceo. E já adianta o lançamento, ainda para este ano, do agalmatolito de alta resistência à abrasão e do extender de dióxido de titânio para início de 2018.

Assim, a Lamil se consolidou no mercado de minérios brasileiros e os sócios avaliam que hoje a empresa é a maior produtora nacional de agalmatolito.  “O agalmatolito fornecido pela Lamil apresenta como grande diferencial em relação aos outros aditivos lamelares, a alvura elevada, o baixo índice de amarelamento e a elevada opacidade do filme seco. Todo seu processo, desde a mineração até expedição, é rigidamente controlado e a empresa se destaca por cumprir três quesitos básicos: excelência em atendimento desde a expedição até o pós-venda, excelência em qualidade e garantia de entrega com pontualidade”, finaliza o sócio e reforçando ainda que a empresa mantém estoques estratégicos de matérias-primas e de produtos acabados rigorosamente dimensionados. “Isso proporciona agilidade e permite o atendimento imediato às solicitações dos clientes”.

Imprimir esta notícia.
Indique para um amigo.
 
Lamil celebra 70 anos de atuação no mercado brasileiro
Fundada em 1947, a empresa se consolidou, possui capacidade de 80.000 toneladas/ano de produto e atende diversos segmentos industriais
Lamil Lage Minérios completa 50 anos em 2008
A empresa celebra meio século de existência com a intensificação de suas pesquisas em tecnologia mineral e ações culturais à comunidade
 
   
 

 

Adicione aos favoritos    |    Anuncie   |   Central de Notícias   |   Sindicatos   |   Feiras   |   Fale Conosco   |   Indique este site
© 1997-2014 - INFOTINTAS - O melhor portal de tintas do Brasil. Todos os direitos reservados